Para deixar mais claro o porquê da Cora existir, é importante voltar um pouco no tempo e contar um pouco da história dos seus fundadores: Igor Senra e Leonardo Mendes.

Em 2007, Igor e Leo fundaram o Moip com o simples objetivo de se tornarem o Paypal do Brasil. No entanto, o Moip conquistou muito mais: a empresa foi pioneira na revolução pela qual a indústria de pagamentos passou. O Moip serviu mais de 3 milhões de negócios como clientes, sendo mais de 500 mil destes ativos em um único mês. Neste período, a empresa fez parte do ecossistema de startups e teve a oportunidade de acompanhar o nascimento e crescimento de muitas empresas, o que também permitiu que eles conhecessem modelos de negócios inovadores, desde a sua concepção até se tornarem referências no mercado digital.

O Moip também ajudou milhares de e-commerces a receber pagamentos, muitos deles dando seus primeiros passos no universo online. A empresa também acompanhou centenas de milhares de empreendedores autônomos que viram nas plataformas digitais uma oportunidade de viabilizar seus negócios e se tornarem donos dos seus próprios sonhos. Eles viram de perto o poder que esses sonhos têm de impactar a vida de milhares de pessoas. Foi a partir das interações com esses empreendedores que ficou claro o quão importante são os pequenos negócios para nossa sociedade e o seu papel como motor de prosperidade e crescimento para o país.

Mesmo depois de vendido para a gigante global Wirecard em 2016, os fundadores permaneceram à frente do Moip até o final de 2018. Foi aí que eles decidiram seguir um caminho diferente, já que a nova controladora do Moip resolveu mudar seu foco dos pequenos para os grandes negócios, uma estratégia que, embora fizesse sentido para a empresa, não se conectava com o que seus fundadores decidiram por ser seu propósito de vida: ajudar o micro e pequeno empreendedor do Brasil a atingirem seus sonhos.

Ao encerrar esse ciclo, eles saíram com a sensação de que ainda existia muito a se fazer. Enquanto viam a garra e vontade de fazer acontecer que os empreendedores brasileiros têm no sangue, por outro lado, sentiam que ainda faltava muito apoio no dia a dia financeiro deles. As “soluções financeiras” disponíveis, muitas vezes, se tornavam problemas e barreiras para o desenvolvimento desses negócios.

Estava claro que o problema enfrentado pelos pequenos negócios não era mais na indústria de pagamentos, porque a competição trouxe mais de 200 players e várias soluções que atenderam bem as necessidades do mercado de meio de pagamentos. O que estava claro, era que os recursos transacionados através desses mais de 200 players acabavam sempre chegando em 4 ou 5 grandes bancos que dominam o mercado brasileiro, mas sem que tenham, de fato, uma solução definitiva para a demanda dos pequenos negócios.

E é esse problema que a Cora endereça, não mais o pagamento, mas todas as operações que acontecem depois que o recurso é recebido pelo pequeno negócio.

Desse propósito nasceu a Cora.

Esse artigo foi útil?
Usuários que acharam isso útil: 0 de 0

Comentários

0 comentário

Artigo fechado para comentários.